Posts

, , ,

É melhor investir em redes sociais ou na criação de um site?

De um lado, a fácil integração proporcionada pelas redes sociais, por ferramentas como o Facebook, Instagram e Twitter. Do outro os sites que são encontrados mais facilmente pelo Google. E agora, em qual investir?

A dúvida é grande e o debate também. São opiniões diversas. Muitos empreendedores, especialmente os de pequeno porte em fase inicial de negócio, acreditam que apenas as redes sociais são suficientes para satisfazer sua clientela. Eles abrem um perfil empresarial nas redes sociais e, devido à rápida interação com os clientes, acabam focando somente nessas mídias. Por outro lado, Google, considerada a ferramenta mais eficiente de busca, só prioriza sites em sua leitura.

Antes de tudo, é preciso entender os motivos e a dinâmica dos negócios nas plataformas digitais.

Por que minha empresa precisa ter um site ou estar nas redes sociais?

Primeiro passo é entender os motivos para colocar sua empresa na internet. Os últimos dados revelam que o Brasil tem 120 milhões de usuários conectados, segundo pesquisa da UNCTAD. E onde está a sua marca?

A internet é hoje a principal vitrine para venda de produtos e serviços. Em poucos cliques, uma pessoa consegue encontrar o que quer, ter informações detalhadas, opiniões diversas e decidir como, onde e de quem ela quer consumir. Ainda que a compra não seja feita online, aproximadamente 70% das pessoas buscam informações na internet antes definir qualquer ação de consumo, seja ela comprar algo, escolher um serviço ou selecionar um destino de lazer. Estar conectado com sua clientela é essencial para os dias atuais.

Redes sociais x criação de um site: como escolher?

Os dados revelam que a melhor alternativa é estar presente em ambas as opções e buscar estratégias de marketing digital para cada uma das ferramentas de acordo com seu público. É bem verdade que plataformas sociais facilitam e são ótimas fontes de divulgação e interatividade porém conversões como compra, aquisição e contratações se dão quase que exclusivamente através dos sites empresariais. Contudo, uma ferramenta não exclui a potencialidade da outra. A criação de sites também fortalece a marca da empresa. Na verdade, as duas opções contribuem comprovadamente para o seu negócio crescer.

E mais: cada uma tem seu papel no meio digital.

Vantagens das redes sociais

Antes de decidir o que comprar, 77% das pessoas buscam uma “ajudinha” das redes sociais, como Facebook e Instagram, por exemplo, segundo a pesquisa PricewaterhouseCoopers (PwC). Elas oferecem informações que impactam diretamente na decisão do quê e onde comprar, além de serem decisivas na escolha de um serviço. Os principais atrativos das redes sociais são:

  • São gratuitas – para ter uma conta, basta criar um perfil nas páginas oficiais com um e-mail;
  • Interação – Os clientes têm acesso rápido e fácil para ver os produtos e serviços, bem como comentar, deixar opinião ou tirar dúvidas;
  • Público expressivo – Os brasileiros gastam, em média, 13 horas do dia em redes sociais. Ou seja, a chance de ele ver sua marca é alta, ainda que necessite investir em estratégias pagas.

Vantagens da criação de um site

Apesar do sentimento de insegurança do internauta, 93% dos conectados já realizaram compras online.

Para se sentirem protegidos, eles recorrem a algo que as redes sociais não oferecem. Pois é, 70% dos consumidores só compram em sites. E te digo mais, em sites que tenham selos de segurança, certificados SSL. Os dados são da pesquisa “Consumidor Digital”, da Conversion. Esses são alguns pontos principais da criação de site:

  • Serviço online – sites oferecem a possibilidade de o internauta contratar o serviço dentro da própria plataforma, como é o caso do e-commerce;
  • Confiabilidade – a página oficial na internet gera credibilidade, é um verdadeiro cartão de visitas. O internauta sente mais confiança pois pode encontrar, de uma vez só, dados mais completos sobre a empresa, seus produtos e serviços oferecidos;
  • Segurança – sites podem adquirir selos de segurança oficial, o que permite que dados bancários e formulários cadastrais estejam seguros durante uma compra online;
  • Google – Nem sempre a pessoa precisa saber o nome da sua empresa ou marca para encontrá-la no Google. Se o seu site estiver otimizado e bem ranqueado, ao procurar pelo serviço ou produto que você oferece, seu potencial cliente pode te encontrar mais facilmente e da maneira mais comum, através dos buscadores;
  • Integração com redes sociais – É possível integrar os perfis de redes sociais da sua empresa no seu site, ampliando a conexão dos seus clientes em todas as plataformas que você atua.

A partir dessas informações, nós te perguntamos:

Onde você quer estar quando esses potenciais clientes te procurarem? Sem dúvidas, o seu interesse é estar disponível com todos os seus serviços e produtos para atendê-los, não é verdade? E para competir com os concorrentes no mercado digital é essencial a sua empresa estar bem posicionada, ativa e com um site que passe credibilidade com a sua marca.

A criação de um site que seja responsivo, ou seja, que tenha elementos que se ajustem aos tamanhos de tela existentes no mercado, com conteúdo útil, facilidade de encontrar e carregar, entre outros pontos, ajuda a sua empresa a aparecer mais e se posicionar melhor no mercado virtual. Associar isso a um projeto de marketing digital estratégico, focado em geração de conteúdo e nas redes sociais, impulsiona ainda mais suas metas empresariais.

Fonte: netguarana.com.br

,

Como fazer segmentação de mercado?

segmentação de mercado 02

Antes de qualquer coisa: se entenda

Você não vai conseguir definir seu público se não compreender o seu produto a fundo, não é mesmo? Por isso, estude a si mesmo e entenda o que você oferece, quais dores do mercado soluciona, quais você acredita que sejam seus diferenciais no mercado.

Fazer essa análise vai te ajudar (e muito) na hora de entender qual o seu público e os motivos pelos quais ele escolheria comprar sua marca. Além disso, essa reflexão pode te dar vários insights para ações de divulgação.

Entenda seu público

Pode parecer óbvio, mas é sempre bom lembrar: entender seu público alvo, como ele pensa e consome, é um passo fundamental na hora de definir sua segmentação de mercado.

E na hora de reconhecer e entender seu público, você pode se basear em alguns pontos estratégicos, como:

  • Relevância: será que aquele público é realmente relevante para a sua empresa?
  • Volume numérico: seja qual for a segmentação escolhida, você deve garantir que ela atenda sua capacidade de produção, claro
  • Acessibilidade: é preciso que aquele público esteja ao alcance da sua marca e suas ações de marketing – de nada adianta segmentar seu público alvo como pessoas com mais de 60 anos e focar seus recursos em redes sociais, por exemplo.
  • Rentabilidade: pense se aquela segmentação e sua situação financeira consegue cobrir os gastos do seu projeto
  • Foco: pense qual o valor dado por aquela segmentação ao seu produto – ela realmente compraria o que você está oferecendo?

Uma ótima maneira de conseguir as respostas desses questionamentos é o investimento em pesquisas de mercado. A Pesquisa de Segmentação de Mercado, por exemplo, é uma forma de identificar as características dos seus consumidores, quais são os níveis de demanda pelo seu produto ou serviço e os meios pelos quais o seu público consome esse produto. Todas essas informações serão essenciais para o seu negócio, já que, por meio delas, você será capaz de tomar decisões estratégicas para o seu negócio.

Estude bem as necessidades que o seu cliente ou potencial cliente tem e procure formas rápidas de resolvê-la. Um bom produto vende-se praticamente sozinho se ele for relevante para quem tá comprando.

Um exemplo de como fazer segmentação de mercado bem sucedida é a FishTV, que é um grande cliente aqui da Samba. Ela começou como uma WebTV que tem conteúdo especializado em pesca e agora está disponível em alguns pacotes de TV a cabo. Mas, o interessante disso tudo é que é um conteúdo de nicho, que fala sobre pesca, e que tem uma audiência enorme. Eles conheciam o público que queriam alcançar, entenderam a necessidade de conteúdo sobre esse assunto e decidiram arriscar.

Quando você conhece bem a segmentação à qual o seu produto se dirige, fica muito mais simples não apenas adequar seu produto e modelo de venda para ela, mas sua comunicação em geral com o consumidor.

O ambiente de mercado e seus principais concorrentes

Um outro ponto que você precisa analisar na hora de planejar o seu negócio e a segmentação de mercado em que ele vai atuar é a sua concorrência. Entender qual é o público, os meios de compra e, principalmente, as estratégias que ele usa é fundamental.

Benchmarking

O primeiro passo para fazer essa análise pode ser um benchmarking.

Benchmarking é um processo de comparação de produtos, serviços e práticas empresariais, e é um importante instrumento de gestão de negócios. O Bench não precisa ser, necessariamente, apenas com os seus concorrentes. Aqui na Samba, por exemplo, nós costumamos sempre trocar uma ideia com as outras Startups do San Pedro Valley para entender quais são as ações que mais têm dado certo para cada negócio.

A ideia de um bench é conseguir insights para a sua empresa – e com isso queremos dizer não apenas em termos de segmentação de mercado, estratégias de marketing e venda, mas também a respeito da própria estrutura da sua empresa e seus processos organizacionais.

Análise FOFA

Uma outra análise que pode ser feita é a Análise SWOT – essa sigla é um acrônimo para Strengths, Weaknesses, Opportunities e Threats. Traduzindo para o bom e velho português, esse tipo de estudo ganha um nome engraçadinho e, por isso mesmo, fácil de lembrar: Análise FOFA – isto é, as Forças, Oportunidades, Fraquezas e Ameaças do/para o seu negócio.

Essa é uma ferramenta basicamente utilizada para fazer a análise de cenário (ou análise de ambiente) e é usada como base para gestão e planejamento estratégico de uma corporação ou empresa. E é exatamente em função da sua simplicidade que ela se torna extremamente versátil, podendo ser utilizada para qualquer tipo de análise de cenário, desde a criação de um blog à gestão de uma multinacional.

A FOFA funciona focando em dois âmbitos: o ambiente externo e o ambiente interno da sua empresa ou projeto. Observe o gráfico abaixo:

No âmbito interno temos as forças e as fraquezas, que são determinadas pela posição atual do negócio. Fazendo essa análise, a ideia é que você olhe para dentro do seu negócio e atente-se à fatores que necessitam de melhora – seja no seu produto, nas suas estratégias de marketing, ou na forma como você está vendendo, por exemplo.

Já o âmbito externo foca-se mais nas oportunidades e as ameaças. Aqui a ideia é que você consiga fazer antecipações do futuro, permitindo a identificação de aspectos que podem representar problemas (ameaças) à implementação de determinadas estratégias – um fornecedor ou um parceiro que não seja comprometido, por exemplo -, e de aspectos que podem se caracterizar como apoios (oportunidades) para alcançar os objetivos e metas delineados para o seu negócio.

Criando personas

Para facilitar o estudo do seu público, a dica é que você crie uma persona. A persona é a representação fictícia do seu cliente ideal. Ela é baseada em dados reais sobre comportamento e características demográficas dos seus clientes, e pode ter elementos pessoais, motivações, objetivos, desafios e preocupações.

Aqui a ideia é que você crie uma pessoa que realmente compraria o seu produto: dê nome, idade, profissão, hábitos, hobbies e até mesmo um rosto. Apesar de parecer um pouco estranho no início, são essas personas que vão te ajudar (e muito!) a guiar toda a sua estratégia de negócios.

Para construir a sua persona você pode se basear em alguns pontos, como estes que vamos ver a seguir:

  • Quem é o seu potencial cliente? (características físicas e psicológicas de quem vai comprar o seu produto ou contratar o seu serviço)
  • Que tipo de assunto sobre seu setor chamaria sua atenção?
  • Quais são as atividades, seus hábitos e hobbies (tanto pessoalmente quanto profissionalmente)?
  • Qual seu nível de instrução? Quais seus desafios e obstáculos?
  • Que tipo de informações ele consome e em quais veículos?
  • Quais são seus objetivos, suas dificuldades e desafios?
  • Como você poderá ajudar essa persona?

Como forma de auxílio na hora de dar vida às suas personas, uma boa dica é a ferramenta Gerador de Personas – lá, você vai conseguir ter uma visão mais fácil e ampla do seu cliente potencial. É possível – e é até indicado, inclusive – que você tenha mais de uma persona. A ideia é que você consiga, de fato, analisar todos os possíveis compradores, já que todo o seu negócio será construído para eles.

Entendendo o tipos de segmentação de mercado

Existem vários tipos de segmentação de mercado possíveis, mas vamos passar aqui por aquelas mais comuns: a geográfica, a psicográfica e a comportamental.

Segmentação geográfica

Uma das formas de fazer segmentação de mercado é por localizão geográfica. Chamamos de segmentação geográfica quando você separa seu público em diferentes instâncias como país, estado, cidade e – porque não? – até mesmo bairros. A ideia aqui é que você tenha uma visão de onde seu público alvo se encontra para, assim, poder poder decidir onde atuar, ou onde focar seus recursos.

Além disso, quando você sabe onde seus clientes estão, você pode adequar seu produto e suas estratégias de marketing aos valores e costumes locais, por exemplo.

Segmentação Psicográfica

Esse tipo de segmentação visa entender o grupo estudado a partir de seu estilo de vida, suas atitudes, opiniões, seus valores e hábitos. Traçando esse perfil você vai conseguir, por exemplo, a chave para elementos emocionais que podem te ajudar na hora de influenciar seus clientes a escolherem sua marca.

Segmentação comportamental

Essa segmentação visa obter resultados a respeito do relacionamento que o cliente mantém com a sua marca especificamente. Ele é responsável por entender como, quando e onde consomem o que você vende, por exemplo – assim você pode adequar seu produto, além de conseguir insights para expandir as dores que ele soluciona.

Estabelecendo o posicionamento da sua empresa

Depois de fazer todas essas análises, você vai poder começar a construir o posicionamento do seu negócio.

Posicionamento é um termo um pouco subjetivo, mas que, na prática, nada mais é do que o espaço que as marcas e as empresas ocupam no mercado. A ideia aqui é conseguir montar estratégias para que sua marca ocupe um espaço de destaque na mente das pessoas quando, de alguma forma, for mencionada. O posicionamento é aquilo que faz um consumidor – e, principalmente, o público alvo – escolher a sua marca quando em frente à outras.

Se ficou um pouco confuso, vamos usar um exemplo. Pense na Coca Cola – o que vem a sua cabeça? A franquia de refrigerantes mais conhecida ao redor do mundo? O refrigerante de Cola mais popular? Ou, quem sabe, até mesmo a cor vermelha? Pois é exatamente isso um posicionamento de empresa: estrategicamente se destacar por ser a maior, a melhor, a mais barata, a mais cara, etc, dentre as outras.

A Samba, por exemplo, se posiciona como referência no mercado de venda e distribuição de vídeos online no Brasil. A Rock Content já se posiciona como referência em Marketing de Conteúdo. A SMARTalk é referência em apresentações de impacto e por aí vai…

No entanto, é importante que você tenha em mente a necessidade de seu posicionamento deve se caracterizar como um compromisso que realmente pode ser entregue pelo seu produto – até porque, promessas falsas podem levar ao posicionamento negativo.

Tudo bem, mas o que o posicionamento tem a ver com a sua segmentação de mercado? – você deve estar se perguntando. Com todo o rendimento da pesquisa feita para levantar o público alvo da sua empresa, você vai conseguir ter uma visão mais ampla e objetiva sobre o que as pessoas pensam do seu produto e/ou marca. Dessa forma, você consegue construir um posicionamento adequado e que tenha um objetivo mais estratégico na hora de conseguir se sustentar como o número um daquela segmentação de mercado específica.

Tenha em mente, no entanto, que o posicionamento de mercado é algo que é adquirido com o tempo. Nenhum negócio nasce como referência no assunto e uma das formas de construir esse posicionamento é por meio das estratégias de marketing.

Monitore e faça ajustes constantes

Você com certeza já sabe – mesmo que como consumidor – da dinamicidade do mercado, não é mesmo? Pois é exatamente isso que você deve ter em mente durante toda a trajetória da sua empresa: o mundo está em complexa mudança e, por isso mesmo, as coisas mudam; as pessoas, suas necessidades e seus gostos mudam; a concorrência muda e, assim, você também deve seguir o curso de mudança.

Por isso, é preciso ter a preocupação de sempre monitorar e se adequar ao público alvo! Faça pesquisas constantes e analise dados como a expectativa e necessidade das suas personas e mude suas estratégias e sua segmentação de mercado sempre que achar necessário.

 

Fonte: (sambatech.com – Editado)

,

Marketing digital para pequenas empresas

Se você precisa de algumas dicas de marketing digital para sua empresa, fique tranquilo. Vou te ajudar! Espero não ser cansativo, mas vou tentar passar o máximo de informações possíveis nesse texto. Caso você tenha alguma dúvida, por favor, entre em contato com a nossa agência de marketing digital.

Se você é MEI ou Simples Nacional essa matéria é para você! Vou te ensinar como investir em marketing digital e ter retorno de investimento. Tudo vai depender de um bom planejamento de marketing digital. Caso precise de alguma ajuda com o seu planejamento click no link.

Normalmente quando somos uma empresa “pequena” não temos um capital alto para investir ou muitas vezes não dispomos de dinheiro por um longo período de tempo. E isso acaba atrapalhando que a gente inicie o trabalho de marketing digital, pois parece realmente difícil iniciar sem preencher esse requisito “orçamento mensal” (budget) que todas as agências de marketing perguntam.

Não esqueça que o planejamento é o ponto mais importante para medir o retorno de investimento. E para medir o retorno de investimento basta você fazer uma continha: (lucro) – (Valor Investido) = Retorno de Investimento ROI.

E para aumentar o retorno de investimento? Para aumentar o retorno de investimento, você terá que reinvestir onde dá mais certo. Com o Google Analytics nós podemos saber por qual canal que foi realizada a venda, se foi pelo GoogleFacebookYoutube, links patrocinados ou se foi acesso orgânico. Pode parecer grego o que estou falando, mas todos esses canais são formas de se gerar acesso qualificado para o seu site.

E é por meio de acesso qualificado que nós conseguimos transformar esses leads em conversão. Uma ótima estratégia de marketing digital para sua pequena empresa é instalar as Tags de Conversão Google Analytics, elas te possibilitam entender mais seu acesso e de onde podem acontecer mais vendas.

Até essa parte do texto você deve ter entendido que:

  • Instalar as Tags de Conversão do Google Analytics é fundamental
  • Ter um planejamento para alguns meses é o mais importante, então respeite o fôlego de investimento da sua empresa.

Onde uma pequena empresa pode investir?

Eu recomendo sempre melhorar seu posicionamento orgânico, por que ai você não vai depender tanto de anúncios. Agora se você precisar de retorno rápido, comece o Google Adwords ou Facebook Ads, procure por Gerenciamento de Links Patrocinados.

Outra dica de marketing digital para pequenas empresas é aproveitar que não possui tanto orçamento pra concorrer com as grandes e trabalhar mais o lado Empresa/Consumidor (b2c), quanto mais você estreitar essa relação e se tornar próximo do seu cliente, mais fácil para vender o seu serviço ou produto pelo Facebook de forma orgânica.

Procure trabalhar seu BLOG com dicas de interesse do seu público alvo. Publique no Facebook, Instagram, Twitter e sempre que possível compre anúncios em display (Google Adwords). Os anúncios da rede de display são mais baratos que na rede de pesquisa.

Provavelmente sua mente deu um nó se não está acostumado com esses termos, caso tenha alguma dúvida sobre algum termo procure em nosso blog ou solicite ajuda em nosso chat.

Anúncios Baratos para Pequenas Empresas

Anunciar na internet é muito simples. Com as Tags do Google Analytics instaladas, conseguimos medir de onde vamos realizar a venda ou preenchimento de formulário, certo? Então basta testar diferentes plataformas e ferramentas que geram ACESSO QUALIFICADO. Lembrem dessa palavra.

Veja algumas dicas de onde investir:

  • Google Adwords (display)
    Se você vende serviços ou produtos, use essa rede para ter anúncios baratos no Google. Você vai anunciar banners na: Folha, Estadão, Terra, Sites de Notícia, Blogs, Youtube, etc.
  • Anúncios no Google Shopping
    Se você tem uma loja virtual integre-a agora com o XML do Google e venda pelo Google Shopping. É a rede de maior CONVERSÃO para a maioria dos E-commerces (além dos market Places claro).
  • Anúncios no Facebook Ads
    Muita gente tinha receio de criar anúncios no Facebook, porém pra muita gente tem se tornado a salvação. Com um custo baixo por click o Facebook acaba sendo uma ótima oportunidade de ter acessos a um custo baixo.
  • Anúncios de Remarketing
    Está precisando melhorar sua conversão? Invista em remarketing e trabalhe o público que já acessou seu site. Em breve você verá os banners da minha agência de marketing digital, afinal nós fazemos remarketing pra gente também. ; )
  • SEO – A Otimização nunca Morre
    Estar entre os primeiros no Google é um desafio, sua empresa, seja pequena ou grande, precisa trabalhar seu site constantemente. E isso te ajuda a ter orçamentos sem custo nenhum, aumentando também o seu índice de qualidade das campanhas.

Caso você tenha dúvidas como o que fazer com R$1.000,00, R$500,00, etc.. Vou deixar algumas considerações finais de onde uma empresa com orçamento limitado pode investir para começar a ter algum retorno de investimento.

Investindo em Marketing Digital para Pequenas Empresas R$1.000,00

  • Recomendamos investir em SEO e trabalhar anúncios como seu remarketing.
  • Ou divida o dinheiro em anúncios e SEO.
  • Se precisar de acessos qualificados e seu site já estiver otimizado pronto para vender, invista apenas em anúncios. Se precisar de ajuda solicite em nosso chat.

Investindo em Marketing Digital para Pequenas Empresas R$500,00

  • Eu investiria apenas em SEO durante o tempo necessário para ter um posicionamento orgânico bom e criar anúncios baratos.
  • Criaria campanhas de Display, Facebook ou Youtube, onde o custo do click é abaixo de 40 centavos.

Lembre que essas são ideias de orçamento, mas é necessário fazer uma avaliação do seu site para ver o que é necessário para você se igualar e depois ultrapassar a concorrência. Cada empresa possui uma combinação de serviços de marketing digital para ter retorno de investimento positivo. Teste diferentes tipos de buscar acesso qualificado e avalie tudo pelo Google Analytics

Eu adoraria escrever mais sobre o assunto e oferecer maiores dicas de como melhorar o retorno de investimento que a sua pequena empresa tem com a internet, mas infelizmente o texto vai ficar muito comprido e vai te tomar muito tempo.

Então caso tenha alguma dúvida coloque nos comentários, que responderei o mais breve possível, ou entre em contato com nossa agência de marketing digital para um orçamento. Se precisar de ideias de cursos de marketing digital ou consultoria em marketing digital, liga pra gente que nós te indicamos.

 

Fonte: Geração Interativa (http://geracaointerativa.com.br/noticias-marketing-digital/marketing-digital-para-pequenas-empresas.html)

,

O que uma Agência de Marketing Digital faz?

“Preciso contratar uma agência de marketing digital”, essa é uma expressão que vem ganhando bastante força nos últimos anos. Mas afinal o que faz uma agência de marketing digital? Porque os serviços oferecidos por essas empresas são tão importantes?

Agências de marketing digital são empresas que foram criadas a partir da necessidade do mercado online. Com a propagação da internet as pessoas começaram a consumir cada vez mais produtos e serviços através da web, e devido a esse consumismo as agências de marketing digital surgiram para facilitar as ações entre clientes e empresas.

As agências de marketing digital recebem um desafio, de fazer empresas conhecidas no mercado online, em um mundo cheio de concorrentes onde a tecnologia está cada vez mais ao alcance de todos. Tudo isso aliado a um diferencial, proporcionar um elo entre cliente e empresa, não basta apenas ter o cliente no momento da compra, ele deve se sentir atraído em acompanhar a empresa, para contribuir com seu crescimento.

 

Desenvolvimento de site

Quando site é desenvolvido por agências especializadas, fica muito mais fácil colocar em prática as ações de SEO, pois o site terá toda uma estrutura planejada para ser ranqueado pelo Google. O layout será feito de acordo com o perfil da empresa, cores adequadas sem chamar atenção indevida.

Gerar conteúdo de qualidade

Conteúdo que sejam relevantes para o cliente é um dos principais fatores para o sucesso de um site ou blog. As pessoas têm que se sentirem atraídas para visitar sua loja, fan page ou qualquer mídia social em que esteja presente. Nada melhor que assuntos de utilidade, que possam ajudar de alguma maneira, ou que traga esclarecimentos. Os profissionais do marketing digital, além de escolherem os assuntos mais adequados para cada cliente, utilizam palavras chaves nos textos, para ajudar na otimização do site.

Uso das Palavras Chaves ou KeyWords

As palavras chaves são muito importantes no trabalho realizado pelas agências de marketing digital, elas estão relacionadas diretamente com sua empresa e são responsáveis em levar o site a ser visualizado nos motores de busca.

As KeyWords vão ajudar na otimização do site, empregando as técnicas de SEO.

Utilizam a técnica (SEO) – Search Engine Optimization

São métodos usados pelo Marketing Digital para aprimorar o posicionamento de um site, deixando ele nas primeiras páginas do Google.

Monitoramento das redes sociais

Esse serviço oferecido pelas agências de marketing digital, tem tido uma procura muito grande nos últimos tempos. Não basta apenas se fazer presente nas redes sociais, é preciso saber se comportar diante dos consumidores. Veja o porquê as redes sociais devem ser administradas preferencialmente por profissionais de marketing: Acompanhar os comentários; responder todas as postagens que tenham dúvidas sobre o seu negócio; resolver uma possível crise; postar conteúdos relevantes; evitar propagandas excessivas pois isso cansa as pessoas.

Administrar publicidade no facebook

O facebook tem sido um forte aliado para as empresas, devido seu grande número de usuários, seja através de maneira orgânica ou campanha paga.

As agências de marketing digital também oferecem esses serviços como:

Link patrocinado que é uma publicidade paga usada para direcionar sua empresa ao público-alvo de acordo com a palavra-chave ligada ao seu negócio.

Remarketing – O cliente visita sua página mas não finaliza a compra, logo ele vai receber anúncios na timeline da rede social, daquele produto que ele se interessou mas não comprou, isso aumenta suas chances de conversão.

Desenvolvimento de campanhas em mídias digitais

Todas as campanhas publicitárias necessitam de um planejamento, é preciso saber quem são os concorrentes e conhecer o público alvo, para então ver quais serão as melhores estratégias a serem utilizadas.

Acompanhamento e definição de métricas para avaliação das ações

Saber quem são as pessoas que vistam sua loja, quem são os clientes que não finalizaram compras, taxa de conversão, taxa de rejeição. Todos esses dados são necessários para saber como a empresa deve prosseguir, onde estão os erros, como podem ser os acertos.

Esses são os principais serviços que as agências de marketing digital oferecem para garantir o sucesso de um negócio online. Elas trabalham com profissionais capacitados de vários setores, como publicidade, marketing, jornalismo, web designer. Cada um exerce uma função específica, mas todos com mesmo objetivo, proporcionar satisfação ao cliente que contratou o serviço.

 

Fonte: Geração Interativa
(http://geracaointerativa.com.br/noticias-marketing-digital/375-o-que-uma-agencia-de-marketing-digital-faz.html)